Saiba onde descartar lixo eletrônico

Um dos grandes problemas da vida urbana é a destinação do lixo doméstico, incluindo os aparelhos eletroeletrônicos. O que fazer com aparelhos de TV, notebooks, CPU de computadores, eletrodomésticos e toda a parafernália eletrônica quebrada e que só ocupa espaço em casa? Os números são assustadores. 

Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil (edição 2011), elaborado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), 6,7 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos tiveram destino impróprio no País em 2010. 

         Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) estimam que os brasileiros produzam cerca de 360 mil toneladas de lixo eletrônico como pilhas, baterias, celulares, computadores, eletrodomésticos, CDs, DVDs, lâmpadas e muitos outros, que requerem descarte adequado e especial. Isso porque possuem metais pesados e altamente tóxicos que podem contaminar o lençol freático, quando destinados aos aterros e lixões, e poluir o ar, se forem queimados. 

         A Abrelpe (www.abrelpe.org.br) firmou parcerias para disponibilizar à população um sistema de captação e retorno dos resíduos de equipamentos eletroeletrônicos quebrados ou em desuso. Foram estabelecidos acordos de cooperação, por exemplo, com a Prefeitura do Município de São Paulo, com o Grupo Pão de Açúcar e com a Associação Reciclázaro sobre o estabelecimento de pontos de coleta de lixo eletrônico em vários pontos da cidade.

         Já a prefeitura paulistana mantém, desde maio de 2010, a 1ª Central de Triagem de Lixo Eletrônico da Cidade de São Paulo, localizada na Barra Funda, zona oeste da capital, operada pela cooperativa Coopermiti (www.coopermiti.com.br).

         A Associação Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre) reúne grandes indústrias nacionais e mantém em seu site (www.cempre.org.br) um cadastro com  cooperativas no Brasil que recebem e dão destino adequado e ecologicamente correto ao lixo eletrônico.  Outra lista pode ser encontrada no site do Instituto Sergio Motta que, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, criou um banco de dados que congrega centros de reciclagem. Confira em ism.org.br/e-lixo-maps/.

Iniciativas como essas são importantíssimas para a sustentabilidade do planeta, pois ajudam a preservar o meio ambiente e impedem os prejuízos à saúde das pessoas. Faça a sua parte e colabore para deixarmos um mundo melhor às futuras gerações.

 

.