Uma rotina de exercícios é fundamental para aumentar a resistência

Em época de temperaturas mais baixas, muitos atribuem o aumento da incidência de doenças ao enfraquecimento do sistema imunológico, responsável pela defesa do organismo. No entanto, para o Dr. Alberto Chebabo, especialista em infectologia que integra o corpo clínico do Lavoisier Medicina Diagnóstica, a mudança de temperatura não é um fator determinante para a queda da imunidade.

"O que acontece é que durante o inverno as pessoas ficam mais suscetíveis às doenças devido ao maior contato com infectados e permanência em locais fechados", explica. Entretanto, se o individuo estiver com seu sistema imunológico saudável, terá mais chances de combater as ameaças, como vírus e bactérias transmissoras das enfermidades.

De acordo com o médico, para que o sistema imunológico permaneça saudável, independentemente da estação, é preciso tomar alguns cuidados básicos e manter uma alimentação regrada, a rotina de exercícios físicos e a carteira de vacinação em dia. "As vacinas são essenciais para aumentar as defesas do organismo, por isso é importante ficar atento ao calendário de vacinação anual, independentemente da idade ou estação", reforça o Dr. Chebabo. Para ele, as vacinas são a forma mais segura e eficaz de proteger o corpo contra algumas doenças, como a gripe, e outras que podem ocasionar danos permanentes à saúde.
Sinais do corpo.

Um dos principais sintomas de baixa no sistema imunológico é a dificuldade para se recuperar de complicações. Herpes, otites, infecções, gripes, resfriados e abcessos (acúmulo de pus provocado por infecções  bacterianas) são alguns dos problemas que podem aparecer com maior frequência. Outros sintomas como cansaço, queda de cabelo e problemas de pele podem ser sinais de alerta. Se um ou mais desses indícios se manifestar, um médico deve ser consultado para avaliação. Confira abaixo mais algumas dúvidas esclarecidas pelo especialista:

- O estresse pode contribuir para o enfraquecimento do sistema imunológico?
Quando a pessoa passa por situações de estresse, o organismo produz corticosteroides, hormônios que têm ação imunossupressora. Por isso, é importante deixar o nervosismo de lado e incluir as atividades físicas no dia a dia, já que elas ajudam a liberar a tensão acumulada.

- As vacinas podem transmitir doenças, já que possuem vírus na sua composição?
As vacinas podem ter vírus inativados, partículas virais ou vírus atenuados. As vacinas de vírus inativados ou de partículas virais não transmitem doenças. As vacinas de vírus vivo atenuado, como sarampo, rubéola e caxumba podem levar a quadros clínicos leves, sem gravidade. Além de aumentar as defesas do organismo, a vacinação é fundamental para evitar que as enfermidades se propaguem. “A popularização da vacina de poliomielite, por exemplo, tornou o Brasil um país livre da paralisia infantil”, lembra o Dr. Chebabo.

- Dormir mal prejudica a imunidade?
O sono é fundamental para diminuir os níveis de estresse do organismo. Sem ele, ficamos mais suscetíveis às doenças. Para adultos, recomenda-se de sete a oito horas de sono diárias.

- A vitamina C ajuda a fortalecer o sistema imunológico?
Se for consumida isoladamente, sem o balanceamento de outros nutrientes, não será de muita valia. Para aumentar a imunidade, tenha uma dieta equilibrada e procure consumir alimentos ricos em zinco (presente em castanhas, cogumelos e grãos), vitamina A (presente na cenoura, milho e abóbora) e vitamina E (presente em grãos, como o milho e a canola).

Aprendeu o que fazer para evitar correr riscos com o seu sistema imunológico, mas prefere procurar um médico especialista antes de qualquer coisa? Encontre os melhores infectologistas em São Paulo clicando aqui e no Rio de Janeiro aqui! Em outra região, clique aqui!

#PasseAntesNoiLocal