Dicas para escolher casa de repouso

Uma residência especializada em idosos. Assim devem ser vistos os estabelecimentos que oferecem cuidados básicos, atividades recreativas (música, cinema, pintura etc.) e supervisão de especialistas em fisioterapia, gerontologia e nutrição. 

Encaminhar um ente querido para uma casa de repouso é uma decisão difícil para todos. Isto porque o idoso pode sentir medo de ser esquecido. E, por outro lado, os familiares enfrentam o preconceito com relação a essa solução, já que muitos associam esses locais aos antigos asilos, sem estrutura humana e médica.

Para o idoso são fundamentais conforto e qualidade de vida. Já para os familiares vale muito a tranquilidade de que a pessoa está sendo bem tratada por profissionais competentes e carinhosos. “Na hora de escolher a casa de repouso avalie a localização, a segurança, as acomodações, as áreas de lazer, a cozinha, os quartos, os cuidados médicos, os funcionários, os serviços, as visitas e os procedimentos em casos de emergência”, orienta a cuidadora Marly Haddad. Compare as casas visitadas e tome a decisão consciente.

Confira alguns detalhes importantes como se a estrutura possui a documentação necessária para o funcionamento. Ou seja, alvará da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)  e dos Conselhos de Medicina e Enfermagem. Confirme se médicos e enfermeiros mantêm presença diária no local; pergunte se há disponibilidade de visitação sem restrições de horários e dias (caso isso não seja possível, desconfie).

Fique atento quanto à qualidade e higiene da alimentação. Veja se as acomodações possuem acessibilidade e segurança. Dê preferência a indicações de outras pessoas, médicos e amigos.

Marly Haddad destaca que, se houver condições, o idoso deverá participar da escolha da casa de repouso. Ele ficará mais feliz em comparação àquele que não é consultado e que poderá sentir-se abandonado.