Até os dentes ganham ‘lentes de contato’

Quem não quer exibir uma boca com dentes alinhados e branquinhos? Um sorriso perfeito serve como verdadeiro cartão de visitas. Esse desejo tem levado cada vez mais pessoas a recorrer aos serviços da odontologia estética. Além do clareamento, as facetas são o carro-chefe da especialidade e itens obrigatórios na repaginação de homens e mulheres em busca de uma melhor apresentação.

As facetas de porcelana são lâminas muito finas, semelhantes às lentes de contato oculares. As peças são feitas com ajuda de programas de computador sofisticados que auxiliam a fazer os moldes para serem colados aos dentes com um cimento próprio, à base de resina.

Apesar de não ser uma tecnologia nova, erroneamente muita gente ainda confunde o procedimento com o clareamento dental, porém, são tratamentos distintos. Se a pessoa tem o dente escurecido por traumas ou tratamentos endodônticos não pode receber uma lâmina de cerâmica, pois  sua espessura não permitirá bloquear ou esconder aquele dente escuro indesejável, explica Carlos Loureiro Neto, especialista em implantes com ênfase em reabilitação oral e presidente da Academia Brasileira de Odontologia Estética.

Segundo ele, as facetas são uma terapia meramente estética e cosmética, indicadas para pequenas correções de forma, de fechamento de alguns espaços entre os dentes e, eventualmente, até alongamento das coroas, quando estas são encurtadas. Não há impeditivos para quem pretende aderir à terapia, exceto nos casos em que o paciente tenha bruxismo, mordida profunda ou a falta de uma oclusão equilibrada, afirma Neto.

Fora desses exemplos, e em casos de perda de tecido, o dentista relata que a primeira avaliação a ser feita é para determinar qual é a quantidade de tecido perdido. “Dependendo da extensão da fratura, a resina composta é o material de eleição. A partir do momento que o volume de perda dental for muito grande, pode-se considerar a possibilidade de usar as facetas de cerâmica”, detalha.