6 dicas para se cuidar no clima seco

O clima seco sempre traz preocupações relacionadas ao aparecimento ou agravamento de diversas doenças. Os males mais frequentes são conjuntivite e sinusite. Outra ocorrência comum é o agravamento de problemas pulmonares como asma e bronquite. Doenças de pele como xerose (pele descamativa) e dermatites, entre outras, também afetam as pessoas com a queda acentuada da umidade no ar.

O médico José Carlos Perini, presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), aponta uma das principais causas dessa maior suscetibilidade a moléstias durante esses períodos. Segundo ele, a redução da umidade de nossas peles e mucosas afeta a capacidade delas para proteger o organismo de ataques de bactérias e vírus, bem como facilita o ingresso de partículas de sujeira. "Além disso, no tempo seco nosso organismo desidrata-se mais, diminuindo sua capacidade de filtragem e eliminação, via urina e expectoração, de agentes agressivos", explica. O especialista tem algumas recomendações para minimizar os impactos do clima seco em nossa saúde:

  1. É importantíssimo tomar bastante água para ampliar a filtragem e eliminação de impurezas pelo organismo. Além disso, a ingestão deve ser proporcional ao peso corporal. Um adulto de 70 quilos, por exemplo, deve consumir de 2 a 2,5 litros de água por dia. Em crianças, essa proporção deve ser maior, ou seja, se ela pesa 20 quilos tem que ingerir cerca de 1 litro de água por dia.
  2. Também é essencial hidratar regulamente a pele com cremes hidratantes. O ideal é aplicar o produto logo após o banho, pois seus sais trazem a umidade para dentro da pele. Quando não é possível tomar banho, passar a mão molhada na área que será hidratada ajuda bastante.
  3. Pode ser útil hidratar um quarto ou outro ambiente em que se permaneça bastante tempo. Segundo estudos, toalha molhada e nebulizador desempenham essa função com a mesma eficácia. Cada um deles consegue aumentar o índice de umidade do ambiente em cerca de 40%. Colocar balde ou bacia com água é menos eficaz, pois não possuem superfície de evaporação suficiente para a hidratação.
  4. Colírios lubrificantes nas mucosas dos olhos e hidratantes para as mucosas nasais podem ser interessantes, mas devem ser administrados somente sob orientação médica. O uso indiscriminado pode mascarar problemas sem qualquer relação com o clima seco.
  5. Crianças e idosos têm sensibilidade ainda maior ao tempo seco, sendo necessário redobrar os cuidados. Portadores de doenças respiratórias crônicas, como asma ou enfisema pulmonar, também apresentam maior suscetibilidade.
  6. Algumas doenças de pele, incluindo a dermatite atópica, que acomete crianças, tornam a situação ainda mais delicada por conta do ressecamento agudo da pele.

Com essas informações em mente, não deixe de tomar os cuidados necessários. Lembre-se que a prevenção é sempre o melhor caminho.

Encontre farmácias em São Paulo clicando aqui e no Rio de Janeiro aqui! Está em outra região? Clique aqui!

#PasseAntesNoiLocal