Argila faz bem, mas nem todos sabem!

  Recursos encontrados na natureza são empregados em medicamentos e também em tratamentos estéticos há muitos anos. A argila é uma dessas matérias-primas recomendadas em vários desses procedimentos. Mas nem todo mundo sabe, porém, sobre os seus benefícios.

  Embora existam tipos diferenciados de argila, é importante lembrar que nem todas podem ser utilizadas. A indicada é aquela sulfurosa, extraída a mais de 30 metros de profundidade, pois é lá que se encontram as propriedades benéficas ao tratamento estético e medicinal.

Nos tratamentos estéticos, a argiloterapia (ou geoterapia) pode ser feita por fisioterapeutas, dermatofuncionais e esteticistas. A quantidade de sessões e os valores dependerão do tempo e tipo de tratamento realizado. Também pode ser aplicada em casa de acordo com indicação desses profissionais.

As argilas são divididas por cores - preta, branca, verde, vermelha, amarela, marrom -, cada uma com uma função específica na pele. Dos diversos benefícios podem ser destacadas a reprodução celular (responsável pelo clareamento da pele), absorção de toxinas e impurezas, desintoxicação metabólica capilar, facial e corporal, estimulação do crescimento dos fios, amaciamento da pele, entre outros.

  Já nos tratamentos medicinais pode ser utilizada no local de forma externa ou ainda ingerida. Segundo estudiosos, possui ação antisséptica, cicatrizante, antiinflamatória, anticancerígena, antimicrobianas e antiparasitárias, entre outras. Devido a essas funções, a argila é considerada bastante eficaz no tratamento de úlceras gástricas, gastrite, cólicas intestinais, digestão lenta, reumatismo crônico, artrite, ácido úrico, colesterol elevado, osteoporose, gases, diarreia, obesidade, celulite, dor ciática e outros.  

  O clínico médico e diretor da Clínica Vida Natural, Manfred Krusche, explica que em alguns casos a argila pode ser ingerida, mas é importante procurar um especialista, pois só ele pod

  e indicar a forma correta. “A recomendação de um médico nesses casos é imprescindível. Mas, como todo tratamento, a associação dela com uma boa alimentação e exercícios físicos é indispensável”, opina.

 

Conheça os diferentes tipos de argila e suas aplicações estéticas:

Branca - Indicada para peles sensíveis e desidratadas, possui pH muito próximo ao da pele. Apresenta efeitos clareador, cicatrizante a antiinflamatório.

 

Amarela - É rica em elementos responsáveis pela formação da base de colágeno da pele, por isso é indicada para rejuvenescimento e tratamentos cosméticos. Aumenta a elasticidade da pele, combate e retarda o envelhecimento, tem efeito tensor e reduz rugas.

 

Vermelha - Indicada para peles sensíveis e rosadas. Aplicada com movimentos circulares e esfoliantes, promove intensa renovação celular e quando misturada com a branca se transforma na argila rosa, mais suave e com ação desinfetante e cicatrizante.

 

Verde - É ideal para quem tem pele oleosa ou jovem. Tem ação bactericida e cicatrizante, por isso é indicada para sugar toxinas, além de tratar acne e seborreia causadas por acúmulo excessivo de gordura na pele.

 

Marrom - Com efeitos purificante, adstringente, cicatrizante e tonificador, é mais rara devido a sua pureza e pode ser utilizada no tratamento contra a acne, ativa a circulação, tem efeito rejuvenescedor, equilibrador e revitalizador.


Preta - Também conhecida como Lama Negra ou Vulcânica, é a mais nobre de todas. Tem ação antiinflamatória, absorvente e antiestresse, além de ser excelente agente rejuvenescedor. Também melhora a circulação sanguínea, prevenindo a artrose.