Toda roupa pode ser lavada a seco?

  Embora usual, a expressão 'lavagem a seco' em certa medida é inexata, pois não diz da forma correta o funcionamento desse método de limpeza de roupas oferecido por diversas lavanderias. Afinal, embora dispense água e sabão, o sistema exige a imersão das peças em solventes colocados no interior de máquinas. Antes, essas peças passam por um pré-tratamento destinado a eliminar manchas localizadas e, posteriormente, são enxaguadas, centrifugadas e secas em temperaturas elevadas.

  Alguns tipos de roupas prestam-se melhor à limpeza a seco, mas para outros é mais indicada a lavagem convencional, observa Luiz Faria, sócio diretor da Massima Lavanderia, com cinco unidades localizadas em Santos (SP). "O profissional de lavanderia deve indicar o melhor processo para cada caso, mas também pode explicar que uma peça pode ser lavada primeiro na água e depois relavada a seco - ou vice-versa -, se com isso for possível obter melhor resultado final ", enfatiza. "A limpeza a seco limpa, mas não clareia: ou seja, não é capaz de alvejar uma peça amarelada", acrescenta Faria.

Veja a seguir mais algumas dicas do empresário:

         - Por não encolher nem deformar as peças, a limpeza a seco é usada principalmente para ternos, roupas finas, roupas sociais em geral, e roupas de seda e lã. Já roupas amareladas de guardado, cama e banho, ficam melhor na água;

         - Roupas com partes plásticas ou silkscreen devem ser testadas previamente, pois há risco de danos a esses componentes;

        - Apenas tapetes pequenos cabem nas máquinas de lavagem a seco, mas alguns profissionais anunciam como 'limpeza a seco' um método no qual usam a espuma de um sabão - diluída em água -, aplicada com escova e depois seca com aspirador de água, para limpar carpetes, almofadas e estofados.

  Os preços nesse tipo de serviço, podem variar bastante. Para um terno, por exemplo, é comum as lavanderias cobrarem entre R$ 28 e R$ 40, enquanto a limpeza de um vestido simples pode custar algo entre R$ 22 a R$ 40.