Smartphones substituem cartões nas lojas

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar de uma tecnologia chamada NFC (Near Field Communication – Comunicação de Campo Próximo). Pois é ela que permite troca de dados criptografados entre dois aparelhos próximos. É o caso, por exemplo, de um leitor localizado ao lado da caixa registradora de uma loja de varejo. Ao invés de utilizar o cartão de crédito, os clientes que tiverem suas informações armazenadas em seus smartphones NFC podem pagar pelas compras aproximando o aparelho no leitor.

O sistema de pagamentos móveis do Google, denominado Google Wallet (Carteira do Google), usa a tecnologia NFC e é de graça para o usuário. Tornou-se operacional em redes de lojas de varejo selecionadas por todos os Estados Unidos. Com a tecnologia PayPass, da MasterCard, os compradores poderão encostar seu aparelho móvel em terminais especiais em pontos de venda para pagar na hora. Nas lojas participantes ainda poderão trocar cupons especiais, participar de promoções de vendas ou ganhar pontos de fidelidade com a simples escolha do pagamento por meio do Google Wallet.

Também está no páreo o processador de pagamentos online PayPal, que lançou um aplicativo de pagamentos móveis para aparelhos Android. Os usuários instalam o app, ativam o widget PayPal e, a partir daí, podem requisitar o envio ou recebimento de fundos de outro indivíduo com um smartphone e uma conta do PayPal. Usando tecnologia NFC, os dois usuários podem, então, aproximar seus aparelhos e efetuar a transferência instantaneamente.

O Square é um serviço que permite aos usuários aceitar pagamentos com cartão de crédito por meio do uso de um leitor de cartões portátil conectado a um iPhone, iPad ou aparelho Android. Tanto o leitor de cartão da Square quanto o app são grátis, mas há cobrança de 2,75% para cada pagamento realizado. Uma vez que o sistema foi instalado, os usuários podem aceitar pagamentos imediatamente. O Square permite uma experiência de pagamento completamente hands-free, na qual você simplesmente diz o seu nome para começar a transação.

Lançado na Suécia, o iZettle permite aos consumidores aceitar pagamentos em trânsito. O leitor de chip e de senha portátil pode ser conectado a iPhones ou iPads. Isso significa que as transações com cartão podem ocorrer na hora. Também é possível pagar contas ou fazer transferências de dinheiro usando o aparelho. Há a conveniência de marcar as transações com imagens, anotações ou dados de localização, que os usuários podem postar no Facebook e no Twitter para compartilhar suas compras com os amigos.

Conheça alguns outros exemplos pelo mundo:

- A Deutsche Bahn, principal operadora de ferrovias da Alemanha, estendeu seu serviço Touch&Travel (Toque e Viaje) a todas as suas 320 estações. Os passageiros podem usar a tecnologia NFC para pagar ou para tirar uma foto de um código de barras quando entram e saem das estações.

- O Correio da Dinamarca lançou, em março de 2011, selos digitais que podem ser comprados por meio de mensagem de texto. Um código é enviado ao usuário, que o anota no envelope em vez de usar um selo tradicional.

-   A rede de cafés Starbucks lançou, também em 2011, seu programa de pagamento Mobile Card (Cartão Móvel) nos EUA. Os consumidores adquirem o aplicativo Starbucks Card Mobile, que então cria um código de barras 2-D personalizado, que pode ser escaneado no caixa.

- O McDonald's tem um projeto para equipar 7 mil lojas na Europa com telas sensíveis ao toque e leitor de cartão nos pontos de venda, fazendo com que os caixas humanos sejam menos necessários e reduzindo o tempo das transações. De modo parecido, o Burger King atualmente está testando o sistema de pagamento Visa payWave em vários de seus restaurantes.

 

Portanto, quando for às compras na próxima vez, não estranhe se o vendedor lhe mostrar novidades como essas. O mundo da tecnologia nos mostrará, quase que diariamente daqui para frente, outras possibilidades de transação comercial.