Como chegar às montanhas de Vinicunca

O Peru é um país cheio de história e cultura que reúne em um só lugar alguns dos lugares mais incríveis e interessantes do mundo, como é o caso da mundialmente famosa cidade dos Incas, ou, como é conhecida, Machu Picchu. No entanto, mesmo esta sendo a principal atração do país, não é apenas isso que o resume – a prova disso está a poucos quilômetros de Cusco, onde se encontram as mais deslumbrantes e coloridas montanhas de todo o Hemisfério Sul, também conhecidas pelos nomes Vinicunca, Montanhas das 7 Cores, Montanha do Arco-Íris, Cerro Colorado ou Rainbow Mountain. Apesar de ainda ser pouco comercialmente explorado, vale muito a pena visitá-lo e, por isso, o Dubbi reuniu importantes informações (além de outras dicas que você pode encontrar aqui) para qualquer viajante que gostaria de conhecer essa incrível região.
As montanhas de Vinicunca fazem parte da Cordilheira Vilcanota, a cerca de quatro horas de Cusco, sendo possível chegar até lá através de uma trilha um tanto exigente (principalmente por causa da altitude), mas cujo esforço é compensado por belíssimas paisagens. Esse passeio pode ser feito com agências de turismo, o que pode durar até um dia inteiro e inclui transporte de carro até certo ponto do percurso antes de você continuá-lo a pé, além de café-da-manhã, almoço e um guia para acompanhar o grupo, mas também pode ser feito por conta própria. Neste caso, a viagem pode ser bem fácil e muito mais econômica, mas é preciso saber de algumas coisas antes de ir que poderão lhe ajudar por lá.
Para chegar às montanhas por conta própria, você poderá escolher entre alugar um carro ou pegar ônibus. Nessa última opção, é necessário seguir alguns passos – o primeiro é ir até o distrito de Checacupe (levará aproximadamente duas horas a partir da rodoviária de Cusco); de lá, você precisará ir para Pitumarca, que pode ser feito em táxi ou moto (é cobrado um preço baixo e o trajeto deve durar apenas dez minutos). As coisas complicam um pouco no último estágio da viagem, pois você deve ir de Pitumarca até Hanchipacha, mas terá que pegar carona com caminhões que passam pela estrada (que cobram um pequeno preço pelo percurso) ou então com vans de excursão (que aceitarão lhe levar se tiverem lugares sobrando no veículo) para que você possa chegar até o ponto inicial da trilha para as montanhas, chamado Molino Viejo.
Conseguir carona nas caçambas dos caminhões é fácil e uma opção bastante popular entre viajantes, que vão desde estudantes, grupos de diversas pessoas e amantes de trekking até moradores da região levando animais como ovelhas e cabras. Viajar desta forma, apesar de não ser a mais confortável, é barata e conta como uma aventura à parte, além de proporcionar vistas muito privilegiadas das belíssimas paisagens que você verá ao passar por uma das estradas mais cênicas do mundo.
Ao chegar em Hanchipacha, você pode optar por passar a noite por lá (há algumas opções de hostels) para descansar e então começar seu dia logo cedo para a caminhada às montanhas de Vinicunca. Para começar a trilha, os moradores da região poderão lhe indicar o início do caminho, mas você não deve ter problemas para seguir o restante do trajeto sozinho, pois além de ser bem marcado e fácil de seguir de dia, o grande fluxo de turistas que sobem e descem também facilita. Tome cuidado apenas para não ficar no cerro após escurecer – se, por algum motivo, não alcance as montanhas antes do pôr-do-sol (caso tenha feito paradas um pouco mais longas ou começado a caminhada durante a tarde), opte por parar e acampar nas barracas.
Para quem não gosta de acampar, certifique-se de sair cedo de manhã para ter tempo de completar tanto a trilha de ida quanto a de volta antes de escurecer ou então, se possível, contrate os serviços de agências de turismo, pois você terá a oportunidade de explorar outras regiões, fazer paradas longas para tirar fotos, ser acompanhado de um guia certificado e, como tudo isso estende a viagem em quatro a cinco dias (você passará apenas poucas horas por dia caminhando, mas poderá admirar várias outras paisagens além das montanhas), poderá se hospedar nos “lodges” distribuídos em diferentes pontos do percurso.
Independentemente de qual maneira decidir ir até Vinicunca, você não irá se arrepender. Durante a trilha inteira, é possível admirar paisagens de tirar o fôlego de qualquer um, com enormes montanhas com picos nevados, nascentes de rios, casas de pedra e criações de lhamas e alpacas. As montanhas coloridas, apesar de serem cartão-postal e atração principal desse passeio, acabam se tornando apenas um destaque a mais em meio à tanta beleza existente nessa região.