Brasileiros de olho nos imóveis em Miami

Brasileiros amam Miami. Mesmo com o dólar mais caro, sonham em comprar imóvel no estado da Flórida, nos Estados Unidos, e ali investir suas economias e desfrutar de qualidade de vida. “Assim como dólar, o valor dos imóveis daqui subiu. Investir nos Estados Unidos também significa segurança", afirma Rafael Gama, diretor comercial das imobiliárias Miami e Lux, ambas localizadas em Miami.

Um brasileiro, segundo ele, deve hoje dispor de algo entre US$ 300 mil e US$ 350 mil para conseguir um bom imóvel em Miami, havendo a possibilidade de financiamento por bancos locais. "A faixa mais comum de nossos negócios - 70% deles feito com brasileiros - fica entre US$ 500 mil e US$ 700 mil, havendo também vários negócios em valores próximos a US$ 1 milhão", ressalta.

A seguir, algumas dicas para quem pensa em comprar um imóvel em Miami:

1- Quem pode? - Qualquer brasileiro cuja situação legal e tributária permite enviar os recursos legalmente, por meio do Banco Central, pode adquirir um imóvel em Miami.

2- Objetivos- Antes de decidir pela compra é importante analisar, além do imóvel, se ele se integra a seus objetivos. Quem pensa, por exemplo, em um imóvel para investimento, precisa verificar se o condomínio onde está localizado permite locações temporárias.

3- Modalidades de aquisição -

a) à vista

b) financiada por bancos de lá, cujas taxas hoje situam-se na faixa entre 4% e 5% ao ano. Para esse financiamento é necessário ter algo entre 35% e 40% da entrada.

c) compra na fase de pré-construção: entrada de 10% a 20%, mais 10% em cerca de 8 meses, e assim sucessivamente, até ter sido quitado 50% do total, quando o prédio deverá estar com sua estrutura concluída (a entrega da chave pode, porém, levar mais algum tempo, até um ano).

4- Custo da transação – Em geral, o custo de tributos, documentação, encargos financeiros situa-se na faixa entre 1,5% e 2% do valor da compra (em negociações à vista). No caso de financiamentos, entre 5% e 7% (incluindo os juros do financiamento).

5- Tempo - As avaliações e transações podem hoje ser feitas a partir do Brasil, mas a maioria dos compradores vai até Miami ver pessoalmente o imóvel e, se for efetuar a compra lá, assina os primeiros papéis. Após primeira pré-seleção por um corretor local, tudo isso pode ser feito em dois ou três dias.

6- Corretores - Diferentemente do que acontece no Brasil, todos os corretores de lá têm acesso a todo o cadastro de imóveis, e assim o comprador escolhe principalmente um corretor do qual tenha referências, ou no qual confie.

7- Banco - É necessário abrir um conta em um banco de Miami, mas as imobiliárias que lá atuam geralmente têm parceiros que disponibilizam essa conta.

    Se esse tipo de investimento não for o seu caso, não se preocupe nem fique chateado. Trata-se de uma realidade bastante distante para a maioria dos brasileiros e você não é exceção. Agora, se você pensa mesmo em investir ou mudar para os EUA, planeje tudo muito bem para não se atrapalhar em todo o processo burocrático.