5 lugares para esportes radicais

  Prédios enormes, congestionamentos, barulho, poluição: essas são as imagens geralmente associadas à capital paulista. Mas na cidade e nos municípios próximos existem também locais apropriados à prática dos chamados esportes radicais.  Em época de escassez de chuva, apenas as atividades aquáticas ficam comprometidas pelo baixo volume de água. As demais, como o rapel, continuam a atrair grande número de pessoas.

  Como na maioria das vezes esses esportes são praticados em áreas onde a paisagem urbana ainda não predomina sobre as belezas naturais, a atividade alia uma revigorante carga de adrenalina própria da aventura somada a uma breve escapada da estressante rotina da metrópole.  

  Em geral, nas redondezas desses locais existem empresas dedicadas ao esporte, dando todo o suporte necessário a novatos ou veteranos. Mas é importante lembrar que um esporte radical - como a própria expressão já indica - está sempre associado a algum risco e quem se dispuser a esse tipo de aventura deve avaliar previamente sua disposição e capacidade fisica, além de buscar informações com praticantes experientes.

  1. Asa Delta e Paraglider - Com altitude de aproximadamente 1,4 mil metros, a Pedra Grande na cidade de Atibaia, a 75 quilômetros da capital, é bastante frequentada por praticantes de voo livre e  paraglider. Lá, por R$ 300 é possível realizar um voo de asa delta por cerca de 15 minutos de duração, acompanhado de um instrutor, sobrevoando uma belíssima paisagem.
  2. Escalada -  As condições propícias, a proximidade com a capital e a facilidade de acesso fazem da antiga Pedreira do Dib, localizada na Serra da Cantareira, destino de inúmeros praticantes de esportes radicais. Entre eles, a escalada, o bungee jumping e o rapel. Lá, já foram catalogadas mais de 50 vias próprias para escalada, com os mais diversos graus de dificuldade. Fica na cidade de Mairiporã, cerca de 30 quilômetros distante da capital
  3. Rapel - Também conhecido como canionismo, esse esporte no qual o praticante desce de vão livres e paredões com o auxílio de cordas é bastante praticado na Pedreira do Dib, em Mairiporã. Na capital paulista, porém, há uma vertente extremamente urbana: há cerca de 20 anos alguns adeptos reúnem-se para praticar o rapel no viaduto da avenida Doutor Arnaldo sobre a avenida Paulo VI (prolongamento da avenida Sumaré), na Zona Oeste de São Paulo. Tais encontros geralmente acontecem nas horas finais das noites das sextas-feiras.
  4. Rafting, boia cross, canionismo – Tudo isso você encontra em Brotas, a 246 km de São Paulo, uma cidade com várias cachoeiras. O desafio serve tanto a novatos quanto aos já experientes em atividades mais radicais. Na cidade há boa infraestrutura de hotéis e restaurantes. Quem sai de São Paulo pode utilizar as rodovias dos Bandeirantes, Anhanguera ou Washington Luis.
  5. Tirolesa – A tirolesa não é bem um esporte radical, mas uma com extensão de 1 km já muda de qualificação. Pode ser encontrada em Socorro, a 135 km de São Paulo. Os corajosos ainda passarão sobre uma cachoeira de 120 metros, um espetáculo inesquecível. Quem quiser também pode praticar rafting no Rio do Peixe, além de desfrutar de atividades como rapel, arvorismo, boia-cross, off-road, entre outros.

Gostou?

Encontre lojas de roupas esportivas em São Paulo: Aqui

Encontre lojas de roupas esportivas no Rio de Janeiro: Aqui

Está em outra região? Veja aqui!

#PasseAntesNoiLocal