Dez lugares que estão mudando a cara de São Paulo

A cidade de São Paulo está passando por uma reinvenção e ganhando uma nova identidade. Alguns pontos antes esquecidos dos paulistanos e também dos turistas que passam pela maior cidade do Brasil, hoje são locais praticamente obrigatórios em qualquer roteiro que passa pela metrópole. Para você que mora em São Paulo ou pretende visitar a cidade em breve, confira algumas dicas de passeios em que, com certeza, você não vai se decepcionar se conhecer.

MOOCA
A Mooca está deixando para trás a imagem pitoresca para se tornar um novo polo cultural da cidade. Tudo começou com a reforma do atual Museu da Imigração, que teve o velho acervo remodelado e reabriu em 2014 com atrações interativas e apelo jovem. Para comer e beber, boas opções são a 1ª Cervejaria da Mooca e o Hot Rod Dog, que serve cachorros-quentes especiais. O Clube Atlético Juventus também é sempre um bom lugar para diversão.

BAIXO PINHEIROS
A proliferação de bares e restaurantes nas ruas paralelas à Av. Pedroso de Moraes deu nova cara à região do Baixo Pinheiros. O casamento perfeito de cerveja gelada, queijos e embutidos é a proposta da despojada Salumeria Tarantino, do empresário Gilberto Tarantino, sócio do bar BrewDog. Outro local que não se pode descartar na região é o veterano Pirajá.

MINHOCÃO
O paulistano tem vivido mais a rua e exigido mais lazer dela. A tomada do Minhocão faz parte dessa nova demanda da cidade e a via tem sido palco de ações coletivas. O grupo Esparrama, por exemplo, tem como proposta montar peças teatrais em uma das janelas dos prédios, transformando o elevado em uma grande plateia.

PRAÇA DOM JOSÉ GASPAR
A Praça Dom José Gaspar, na região central, tem se renovado desde a reabertura, em 2010, do Paribar, clássico dos anos 1960. O local também viu abundarem festas de rua e estabelecimentos descolados, como o clube Alberta #3. Se o local também é conhecida como ‘praça da biblioteca’, obviamente a protagonista não poderia ficar de fora dessa nova fase. O restauro da Biblioteca Mário de Andrade, concluído em 2011, é o marco dessa reinvenção

RUAS NESTOR PESTANA E BENTO FREITAS
Próximas à Praça Roosevelt, as Ruas Nestor Pestana e Bento Freitas têm muito a ver com o perfil de baladas que andam movimentando a região. O jeitão despojado do L’Amour e do Skorpios, clubes com espelhos nas paredes e barras de pole dancing, combina com a proposta das casas: promover um diálogo ‘menos preconceituoso’ com o espaço urbano.

BANCA TATUÍ
Uma banca que vendia revistas antigas, repleta de infiltrações - e que só permanecia aberta para que o proprietário não perdesse o ponto -, se transformou na Banca Tatuí. Hoje, abriga livros de cem editoras, com publicações independentes, em um espaço diminuto. Em dias de lançamento, há apresentações musicais no teto do local.

AVENIDA PAULISTA
Primeiro foi a ciclovia, inaugurada em junho do ano passado. Quatro meses depois, veio o programa Rua Aberta, que fechou a avenida para carros aos domingos. Apesar das reclamações, o paulistano parece ter gostado de ver a via mais icônica da capital livre para o lazer. Os frequentadores, de várias faixas etárias, buscam diversão montados em bicicletas ou equilibrando-se em skates; caminham sem pressa por entre as criações dos artesãos de rua ou acompanham as apresentações dos inúmeros artistas de rua.

MAKSOUD PLAZA
Frequentado por artistas, políticos, empresários e estrelas da música, o hotel Maksoud Plaza viveu o apogeu nos anos 1980 e 1990, e a crise, que o levou a leilão, nos anos 2000. Para retomar o espírito dos velhos tempos, parcerias foram firmadas. Entre as novidades estão o clube PanAm, que funciona no 23º andar do edifício e tem vista de 360º graus da cidade, e o Frank Bar - homenagem ao cantor Frank Sinatra.

MASP
O recente retorno dos caveletes de vidro de Lina Bo Bardi ao Masp é apenas uma das reformas empreendidas pelo museu nos últimos anos. Na tentativa de retomar seus tempos áureos, a instituição tem lançado um olhar especial aos projetos visionários da arquiteta. As paredes falsas que modificavam a expografia original, por exemplo, foram removidas. No subsolo, uma nova galeria foi criada. E até o café foi reformado.

MIRANTE 9 DE JULHO
Não demorou muito para o local, aberto em agosto do ano passado, se tornar um ponto descolado da cidade. O Mirante 9 de Julho ficou abandonado por décadas e, após uma parceria com a gestão municipal, reabriu com uma programação que engloba festas, shows, exposições e até sessões de cinema.

Se empolgou com as dicas e deseja conhecer ainda mais a cidade de São Paulo? Consulte guias turísticos em São Paulo clicando aqui e no Rio de Janeiro aqui! Em outra região, clique aqui!

#PasseAntesNoiLocal