Aprenda a detectar vazamentos de água

Água é insumo vital para a vida humana e evitar seu desperdício é tarefa fundamental, especialmente nesse contexto de estiagem em várias regiões do país, e de temores sobre possíveis problemas no abastecimento - contexto, aliás, que torna a economia de água ainda mais vantajosa também do ponto de  vista financeiro, pois serviços públicos de água agora oferecem bonificações adicionais a quem reduzir seu consumo.  

Identificar e sanar possíveis vazamentos constitui premissa básica para a redução de consumo de água, que apenas com essa medida pode diminuir em mais de 15%. Responsável pelo abastecimento de água em 364 municípios paulistas - inclusive na capital do estado -, a Sabesp recomenda vários métodos para essa identificação. Também oferece, gratuitamente, cursos  com quatro horas de duração, dedicados especificamente a ensinar as melhores práticas para a busca de vazamento, úteis para síndicos, administradores de condomínios, e outros responsáveis por ambientes onde é mais intenso o consumo de água (mais informações em www.sabesp.com.br).  

Identificado um vazamento, deve-se inicialmente fechar o registro do trecho de tubulações onde ele está localizado - para conter o desperdício – e, em seguida, acionar um profissional ou uma empresa qualificada para sanar o problema.  

Confira abaixo os testes indicados pela Sabesp para identificação de vazamentos em casas e edifícios:

- Hidrômetro: Deixe os registros nas paredes abertos, feche bem todas as torneiras, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários. Anote o número que aparece em seu hidrômetro, ou marque a posição de seu ponteiro maior. Depois de uma hora, verifique se o número mudou ou o ponteiro movimentou-se:  se isso aconteceu, há algum vazamento no imóvel.

- Canos alimentados diretamente pela rede da concessionária: Feche o registro na parede, abra uma torneira alimentada diretamente pela rede da concessionária (pode ser a do tanque) e espere a água parar de sair. Coloque imediatamente um copo cheio de água na boca dessa torneira: caso haja sucção da água do copo, é sinal de vazamento no cano alimentado pela rede.

- Canos alimentados pela caixa d'água:  Feche todas as torneiras da casa, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários. Feche bem a torneira da boia caixa, impedindo a entrada de água. Marque, na própria caixa, o nível da água e verifique após uma hora se ele baixou. Em caso afirmativo, há vazamento na canalização ou nos sanitários alimentados pela caixa d'água.

- Tubulação embutida na parede:  Se você sabe por onde passa o encanamento da parede, bata em toda a extensão do encanamento e veja se o som é diferente em alguma parte. O aparecimento de manchas com mofo e umidade, mudança da coloração do revestimento ou desprendimento do revestimento - azulejo e pintura - também podem ser sinais de vazamento.

- Piscinas: Coloque a água da piscina no nível normal. Encha um balde com água da piscina até 5 cm da borda. Marque o nível de água do balde e também da piscina. Prenda o balde no interior da piscina de forma que a água do balde mantenha a mesma temperatura da água da piscina e sem deixar que elas se misturem. Após 24 horas, verifique o nível de água do balde com o nível de água da piscina e compare com as marcações iniciais. Caso a piscina tenha uma variação maior em altura dos níveis de água, provavelmente ela apresenta vazamento. Se chover, recomece o procedimento.

- Reservatórios subterrâneos de edifícios: Feche o registro de saída do reservatório do subsolo e a torneira da boia. Marque no reservatório o nível da água e após uma hora verifique se ele baixou. Se isso ocorreu, há vazamento nas paredes do reservatório, ou nas tubulações de alimentação do reservatório superior, ou na tubulação de limpeza.

- Boia em reservatório: Mantenha o registro do cavalete aberto, feche o registro de saída do reservatório e desligue a bomba de recalque. Marque no reservatório o nível de água e após duas horas verifique se ele baixou. Se o nível de água não baixar, então há um vazamento pelo extravasor, que pode ser ocasionado por defeito na torneira da boia.

- Reservatório superior: Feche o registro de saída e a torneira do reservatório, e desligue a bomba de recalque (em edifícios). Marque o nível de água com um pedaço de barbante e giz, aguarde duas horas e confira o nível de água. Se ele tiver baixado, há vazamento na canalização ou nos sanitários alimentados pela caixa d'água.

- Reservatório inferior: Mantenha o registro do cavalete aberto e feche o registro da saída do reservatório. Feche a boia e marque o nível de água. Após duas horas, faça uma nova marcação e compare o nível de água. Se ele baixar, há vazamento devido a registro com defeito ou a trinca no reservatório.

- Torneiras:  Este tipo de vazamento é caracterizado por torneira pingando quando fechada. Quando isso acontecer, troque o conhecido 'courinho'.  Gotejando, uma torneira desperdiça 46 litros por dia por dia, ou mais de mil litros de água por mês. Um filete de mais ou menos 2 milímetros totaliza 4.130 litros por mês. E um filete de 4 milímetros, 13.260 litros por mês de desperdício.

- Vaso Sanitário: Jogue borra de café no vaso sanitário. O normal é a borra ficar depositada no fundo do vaso;  caso contrário, é sinal de vazamento na válvula ou na caixa de descarga. Nas bacias cuja saída da descarga for para trás (direção da parede), deve-se fazer o teste esgotando-se a água. Se a bacia voltar a acumular água, há vazamento na válvula ou na caixa de descarga.