Para o churrasco ser um sucesso

Já foi o tempo em que ter uma churrasqueira em casa era privilégio para poucos.  Grande ou pequena, no quintal ou na varanda do apartamento, muita gente escolhe o churrasco como uma maneira agradável de reunir os amigos no final de semana. É uma opção tão democrática que até os vegetarianos têm vez. Nesse caso, basta trocar a carne por legumes e frutas.

Cesar Vincenzi, gerente de Marketing do Templo da Carne, restaurante de Marcos Bassi localizado em São Paulo, dá algumas dicas especiais para que seu churrasco seja um sucesso:

Quantidade de carne - Para calcular a quantidade de comida e bebida para um churrasco considere que uma criança de 6 a 11 anos equivale a “meio adulto”. Desta maneira, estime para cada adulto 400 gramas de carne e um litro e meio de bebida. Os tipos de carne e de bebidas dependem do perfil dos convidados.

Quantidade de carvão - Avalie previamente a quantidade correta de carvão. Em geral, em um churrasco para dez pessoas varia de dois quilos e meio a cinco quilos.

O desafio de acender a churrasqueira - Cada pessoa tem uma técnica especial para acender a churrasqueira.  Vincenzi revela a sua: “Coloque todo o saco de carvão na churrasqueira. Em seguida, separe a maior quantidade em um canto e acenda a churrasqueira do lado em que a menor quantidade estiver. O ideal é utilizar álcool gel ou alguma substância que não deixe cheiro na carne depois”.

E como manter o fogo na temperatura adequada? - Conforme a chama precisar de mais carvão, para manter o volume e temperatura ideais, é só você puxar as pedras do lado em que colocou a maior quantidade.  “É uma opção interessante, pois você não precisa pedir para um amigo tirar a grelha cheia de carne para colocar mais carvão na brasa”, confirma Vincenzi.

O melhor modo para assar a carne – Pedaços grandes (acima de 1,2 kg) devem ser assados na altura média da churrasqueira (aproximadamente 40 cm da brasa). Já para cortes de 5 a 9 kg (costela, paleta, pernil), o mais indicado é colocá-los no alto e deixar assar lentamente, por aproximadamente 5 horas.

Espetar a carne prejudica o sabor? – Cesar Vincenzi responde: “Depende da carne. Para assados, peças acima de 1,2 kg, é bom usar o espeto, pois não tira em nada o sabor da carne. Já em pedaços de 500 gramas, o espeto pode ressecar o corte. Neste caso, o ideal é grelhar sem nada.”

Temperos: usar ou não? - Há sempre o medo de que tempero possa mascarar o gosto da carne. Segundo Vincenzi, qualquer tempero deve ser colocado depois da carne pronta. Para assar ou grelhar, use apenas sal grosso. Outro alerta é para não exagerar na quantidade e colocar o sal cinco minutos antes de levar a carne à churrasqueira. Desta maneira, é melhor absorvido e elimina a necessidade de “bater” na carne quando ela estiver na grelha para tirar os excessos. “Depois de pronta você pode colocar vinagrete, molho de cebola, chimichurri, entre outros”, exemplifica.

Talheres e instrumentos necessários - Existem dois tipos de churrasco: o almoço em que a carne é preparada como acompanhamento e aquela confraternização que chamamos de realmente de churrasco. “Na primeira ocasião, são necessários facas, avental, tábuas, pratos, panos e um jogo completo de talheres. Já no churrasco-festa, o ambiente é mais despojado. As pessoas se importam mais com a bebida gelada e a música e a carne serve simplesmente para matar a fome. Logo, você precisa apenas do básico para preparar a carne: garfos, pinças, facas grandes e abanadores”, enfatiza Vincenzi. O ideal, nesta ocasião, são pratos e copos descartáveis, pois evitam o excesso de louças depois que as visitas vão embora.

Limpeza e higiene – Para que todos fiquem à vontade, inclusive quem vai preparar o churrasco, mantenha o ambiente limpo e agradável. 

Com tudo isso em mãos e amigos e família para confraternizar, o sucesso do churrasco está garantido. Para Vincenzi, que segue a filosofia de Marcos Bassi, o churrasco é, acima de tudo, um ritual, uma confraternização.  “O bom churrasqueiro deve sempre respeitar o produto e o ritual. Tem que haver uma relação de amor entre o churrasqueiro e a carne”, finaliza.