Cuidado com as dietas desintoxicantes

Dietas anunciadas como desintoxicantes viraram moda e ganharam até um apelido mais íntimo: Detox. Em geral, prometem eliminar as toxinas que, acumulando-se no organismo humano, podem provocar males diversos e favorecer a ocorrência de doenças. De quebra, são alardeadas como ferramentas úteis para o emagrecimento.

Tais benefícios são, porém, contestados pelo Conselho Federal de Nutrição (CFN), que recentemente publicou nota informando, entre outras coisas, a falta de evidências científicas para amparar a utilização das dietas desintoxicantes. A adoção dessas dietas, prossegue o comunicado, não é condizente com os princípios da alimentação adequada e saudável (íntegra da nota aqui).

Essa tese é endossada pela nutricionista Adriana Ávila: "As dietas detox têm baixíssimas calorias e são compostas por, basicamente, sucos e saladas. Uma alimentação saudável deve ter também arroz, feijão, carnes magras, entre outros itens". Não cabe a um ou outro alimento, ela enfatiza, a função da desintoxicação. Essa tarefa é naturalmente realizada pelo organismo saudável por meio das fezes, da urina e da transpiração. Exige, entre outras coisas, alimentação equilibrada e bem dosada para que o intestino funcione bem, com ingestão regular de líquidos - principalmente água - para a urina e atividades físicas para ajudar na transpiração.

Os sucos normalmente incluídos nas dietas anunciadas como desintoxicantes podem ser interessantes, observa a nutricionista, pois contêm nutrientes importantes para o organismo, como vitaminas e minerais. Mas esses mesmos nutrientes podem ser obtidos de outras formas. Por exemplo, ao invés de ingerir um suco de couve com abacaxi, a pessoa pode comer a couve na própria refeição e abacaxi como sobremesa. "Além de vitaminas e dos minerais, uma pessoa necessita de outros nutrientes, como ferro, potássio, cálcio, e isso exige uma dieta mais diversificada e equilibrada", finaliza.  

Por isso tudo, atenção às dietas detox para não prejudicar a saúde.