Saiba tudo sobre trituradores de pia

Comuns nas pias das cozinhas norte-americanas, trituradores de resíduos alimentícios começam a aparecer também nos lares brasileiros. Porém, antes de decidir-se pela instalação ou não desse equipamento em sua residência é importante ponderar alguns fatores como preço, respaldo do fabricante, consumo de energia e impacto ambiental.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) desaconselha a instalação, argumentando que o uso deles aumentam a carga orgânica dos esgotos não tratados - ainda comuns no Brasil - e, assim, contribuem com a poluição dos corpos d’água (rios, oceanos, lagos etc). Outra consequência desfavorável, segundo a empresa, é a formação de massas mais consistentes - passíveis inclusive de agregação a lixo indevidamente lançado em vasos sanitários, como pontas de cigarro e lâminas de barbear -, podendo resultar em obstrução das redes de esgotos. Além disso, os aparelhos consomem energia, insumo ambientalmente bastante relevante e caro.

Augusto Clementino Filho, diretor Comercial da Tritury, fabricante de trituradores sediada em Belo Horizonte, refuta os possíveis pontos negativos. "No mundo inteiro, o triturador é considerado aliado do meio ambiente, pois ajuda a reduzir os despejos em lixões e permite absorção mais rápida dos esgotos nas estações de tratamento", ressalta. Ele ainda destaca que o consumo de energia do equipamento é irrisório. “Em uma família de quatro a seis pessoas, um triturador significa não mais que dez reais por mês na conta".

Outros fatores também devem ser pesados na balança para a tomada de decisão. O acessório pode minimizar odores na cozinha, ajudando a reduzir a presença de insetos muitas vezes atraídos por restos de alimentos. Por outro lado, os trituradores processam apenas detritos orgânicos e, mesmo assim, com algumas limitações. Os equipamentos, por exemplo, não aceitam caroços grandes – como os de manga ou abacate - nem ossos maiores e também têm dificuldades para lidar com alimentos muito fibrosos, incluindo aspargos e cascas de bananas, cujas fibras podem enrolar-se nas lâminas trituradoras, comprometendo seu funcionamento.

O preço do produto varia entre R$ 600 e R$ 3 mil. Os equipamentos importados são comuns nesse mercado e podem, algumas vezes, ser mais baratos. No entanto, exigem atenção sobre a garantia e disponibilidade de assistência técnica (sites de reclamações podem ser bom caminho para obter informações).

Refletir sobre todos os pontos que apresentamos certamente o ajudará a fazer a escolha mais conveniente, para você e para o meio ambiente.

Gostou das dicas? Encontre casas de construção em São Paulo clicando aqui e no Rio de Janeiro aqui. Está em outra região? Clique aqui!

#PasseAntesNoiLocal