Escolha a grama ideal para o jardim

Sabe aquele espaço vazio no quintal que deixa o ambiente meio sem graça? Com pouco dinheiro e trabalho é possível transformá-lo em um aconchegante tapete verde.  Há no mercado diversas opções de gramas a preços acessíveis. Entre os tipos mais comuns estão a Esmeralda, São Carlos, Santo Agostinho e Bermudas. Geralmente, são vendidas por metro quadrado, são de fácil replantio e demandam pouca manutenção. 

A vendedora Luciana Cristina Cesar explica que na loja LR Gramas, ponto de venda exclusivo da Fazenda Lazaro Ramos, de Itapetininga (SP), a grama Esmeralda (Zoysia japônica) é o carro-chefe das vendas. “A Esmeralda não cresce muito, dá menos mão de obra e se adapta a ambientes que ficam ensolarados o dia inteiro”. Com folhas estreitas, pequenas e pontiagudas, é perfeita para jardins residenciais, condomínios e playground, formando gramados muito densos e macios quando bem cuidados. Embora resistente ao pisoteio, não deve ser utilizada em tráfego intenso.

Já para quem tem um jardim no qual a incidência de sol ocorre apenas em uma parte do dia, o ideal é optar pela grama do tipo São Carlos (Paspalum compressum). Indicada para áreas sombreadas, a São Carlos tem folhas largas, lisas e sem pelos. Sua coloração é verde vibrante a pleno sol e fica um pouco mais escura à sombra. Há também uma variedade com folhas com margens branco-creme. É muito indicada para jardins públicos, indústrias, canteiros de avenidas, residências e, principalmente, sítios e fazendas.  

Já a grama Bermudas (Cynodon dactylon) é a que dá mais mão de obra, apesar de poder ser cultivada a pleno sol, ser bem macia e resistente ao pisoteio intenso. Por ser indicada para campos esportivos em geral, como futebol, golfe, polo e playground, sua manutenção exige ceifas frequentes, por conta do rápido crescimento e regeneração. 

Para quem reside no litoral, a grama Santo Agostinho (Stenotaphrum secundatum) é a melhor opção por ser ideal para terrenos arenosos e por tolerar bem a salinidade. Suas folhas são lisas, sem pelos e estreitas, de coloração verde-escura. Vai bem tanto em jardins residenciais quanto de empresas. É contraindicada para o plantio em lugares muito frio.

As gramas comercializadas no mercado são vendidas por metro quadrado em formato de tapetes: a cada quatro tapetes se forma um metro quadrado, explica Luciana. De acordo com a vendedora, após a realização do replantio da grama (na verdade, o retransplante), o cuidado mais importante nos primeiros 60 dias é a rega, exceto para a grama Bermudas, que exige podas em intervalos menores de tempo. Para as demais especiais, é possível fazer podas a cada 30 dias. Se houver chuva em abundância, nem há necessidade de regar a maioria das espécies de gramas, mas do contrário, nesse período, a água é imprescindível.

Após 60 dias, há a necessidade de adubação química que pode ser feita com vários produtos à venda no mercado que carregam macro e micronutrientes, que podem ser farelados ou granulados.

O resultado será um lugar aconchegante, propício para relaxar o corpo e a mente.