O momento certo para trocar os pneus

Os pneus são uma das partes essenciais do carro, pois suportam o peso do veículo e proporcionam o melhor rendimento do motor. Além disso, são responsáveis pela estabilidade nas curvas e tornam o momento de frear mais seguro. Por tudo isso, é fundamental ficar atento ao estado dessas peças para saber qual a hora certa de realizar a troca.  

Caso ainda não tenha o costume, é importante começar a ficar de olho nos sulcos, os frisos por onde passa a água quando o pneu está rodando em contato com o solo. Eles mostram o nível de desgaste da borracha e o indicam o momento da troca. No caso de estarem “fundos”, é sinal de que chegou a hora de buscar um novo jogo de pneus. Segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip), as ranhuras nunca devem estar abaixo de 1,6 mm de profundidade.

Além dos sulcos, os desgastes da banda de rodagem devem ser observados. São praticamente imperceptíveis, mas quando começam a aparecer significam que o piso está ficando baixo. Outro sintoma claro de desgaste são as rachaduras nas paredes laterais. Fique atento, ainda, para a presença de bolhas e saliências que deformam a superfície da peça: são sinais claros que o pneu precisa ser trocado ou, em alguns casos, receber manutenção. Se o pneu tiver alguns destes problemas o carro vai vibrar mais do que o normal.

A Anip recomenda a revisão dos pneus a cada 10 mil quilômetros rodados, atentando para detalhes como balanceamento, geometria e situação da suspensão. Vale lembrar que, dependendo da condição dos pneus, o motorista pode ser multado e, além do prejuízo financeiro, pode prejudicar o funcionamento de outras partes do veículo. A entidade também aconselha o rodízio dos pneus dianteiros com os traseiros a cada 10 mil quilômetros. Os da frente costumam perder mais borracha do que os de trás. Com a prática do rodízio, este desgaste ocorre de maneira mais equilibrada.

Não se esqueça da importância da calibragem frequente. Um pneu bem calibrado garante mais segurança na hora de dirigir e ajuda a reduzir o consumo de combustível. A calibragem errada pode não só comprometer a segurança dos ocupantes do veículo como também prejudicar o desempenho do automóvel.