O que fazer com animal abandonado?

         Você encontrou um bichinho na rua, um cãozinho, uma ninhada de gatos, ou viu um animal atropelado. O que fazer com o animal? O senso comum diz que a melhor saída é encaminhar para alguma ONG ou abrigo de animais, torcendo pela recuperação do animal e sua posterior adoção. Na verdade, a pessoa que encontra um animal em situação de risco e quer ajudá-lo deve ir além, tomando algumas medidas que poderão facilitar a vida futura do bichinho.

         Se você quiser realmente ajudar, a primeira providência é levar o animal para um veterinário, mesmo que ele não pareça fisicamente machucado. Só um profissional poderá avaliar as reais condições do animal, se ele tem ossos quebrados, alguma doença ou condição de saúde que exige cuidados imediatos.

         Mesmo que o animal pareça ter boa saúde, algumas ações são essenciais. Vermifugar o bichinho, para tratar ou prevenir verminoses, é uma medida que pode garantir a sobrevivência do cão ou gato. Vacinar contra raiva e outras doenças também é muito importante, assim como castrar o animal. A castração é uma exigência para doação – nenhum abrigo ou ONG colocará um animal para adoção se ele não estiver castrado. A reprodução sem controle é uma das razões pelo alto número de animais abandonados nas ruas.

         Se você resgatou um animal por ter bom coração, lembre-se que será responsável por ele do momento do resgate até a adoção pelos novos donos. Isso incluir oferecer um lar provisório, alimentar e responder pelos custos de veterinário. Para facilitar a adoção entre seus amigos e conhecidos, fotografe o animal e coloque cartazes em pet shops, clínicas veterinárias e outros locais de interesse. É claro que as redes sociais podem ser ótima ferramenta para essa divulgação.

        Você também pode levar o animal resgatado para feiras de adoção, muito frequentes nas grandes cidades. No caso de cachorros, as feiras são o caminho mais indicado, ao passo que a internet funciona muito bem com gatos. Lembre-se que as feiras só aceitam os animais se estiverem castrados e vacinados.

         É importante garantir que o bichinho terá uma casa segura e que suas necessidades serão atendidas. Não apenas água e comida, mas atenção e afeto. Afinal, cães e gatos são seres sensíveis, com sentimentos muito parecidos com os nossos.