Dicas para adestrar gatos

Para muita gente ensinar os felinos a se comportar melhor parece tarefa impossível, mas com amor, paciência, pequenas recompensas e alguns truques, seu gatinho pode aprender a não arranhar e subir em móveis.

A veterinária Flávia Campos, de São Paulo, dá algumas dicas para você adestrar esse animal extremamente inteligente e que tem o temperamento bem mais independente do que os cachorros. Segundo ela, iniciar o treinamento durante o período de socialização, entre três semanas e dois meses de vida, é o ideal. “É muito importante apresentá-lo ao maior número possível de estímulos, principalmente em relação à alimentação que pretendemos oferecer, assim como a convivência com outros animais ou crianças”.

De acordo com a veterinária, os gatos são muito curiosos e, geralmente, não são muito gulosos. Por isso, usar o alimento como recompensa ou objetos que façam barulhos interessantes, como brinquedos ou sacolinhas, além de atrair a atenção deles, facilita a associação do animal com algo positivo. A palavra “vem”, um dos comandos mais pedidos pelos tutores, deve estar associada ao momento de ensinar o gato a sentar, entrar na caixa de transporte, a dar a pata, a miar e, também, a se comportar melhor, deixando de subir em mesas, roubar comida ou a mexer no lixo.

Mas a veterinária faz um alerta: “Devemos ter muito cuidado ao dar broncas em gatos, pois eles são muito sensíveis e se magoam facilmente e, dessa forma, podemos perder a confiança e a conexão conquistadas”. Para ela, a melhor maneira de dar broncas em gatos é utilizando métodos despersonalizados, com barulhos ou objetos que surjam de repente, sem serem associados a uma pessoa.

Outra dica interessante é chamar o bichano pelo nome somente quando for elogiá-lo. Associe o comportamento positivo a ser reforçado, repetindo palavras como "bom" e o nome do gato. Repita esses comandos diversas vezes por dia, inclusive quando ele usar a caixa de areia, quando ele se sentar tranquilamente em seu colo e quando seu bichinho se aproximar de brinquedos como arranhador, mas nunca quando o gato se aproximar de vasos da sala, por exemplo. Assim ele vai entender o que pode ou não pode fazer.  

Com essas dicas simples, você vai conhecer melhor o seu bichano, proporcionar ambiente mais saudável e feliz para ambos, além de garantir que a família e as visitas se sintam confortáveis na presença do gatinho, bem mais comportado.