Proteja o fígado com boa alimentação

  O fígado, órgão localizado do lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo e essencial para o seu equilíbrio. Na maioria das vezes, ele leva a culpa de todos os exageros que cometemos ao longo da vida. Ressacas ou dificuldade de digestão, comuns quando se come ou bebe demais, em geral, são atribuídas ao mau funcionamento do fígado e não aos abusos praticados.

  Com bom senso, mudança de hábitos e ingestão de alimentos saudáveis é possível eliminar a gordura causada pelos excessos e até prevenir o aparecimento de anomalias como a inflamação hepáticao fígado gordocirrose ou congestão hepática.

  Alguns alimentos agem como “remédios” e ajudam a proteger a glândula. Conheça alguns deles:

  • Alcachofra, vegetal que deve ser incorporado na dieta sempre que a meta for melhorar o fígado gordo. Além de ter poucas calorias, é um excelente alimento diurético e ajuda a regular o colesterol e o açúcar no sangue, diminuindo a absorção de gordura. Recomenda-se incluir no cardápio pelo menos duas vezes por semana, sempre natural e em preparações leves no forno ou cozida. Nas lojas de produtos naturais é possível encontrar as suas folhas para realizar infusões, ou cápsulas para ingerir e melhorar o estado do fígado.
  • A ameixa amarela (também chamada nêspera) é conhecida por ser um bom remédio natural, uma vez que melhora as funções hepáticas graças ao seu efeito depurador sobre o corpo. Indica-se comer duas diariamente.
  • Os rábanos (rabanetes) e a beterraba também são alimentos que favorecem a cura de problemas hepáticos. Ambos ajudam a desinflamar e depurar o fígado, tendo poucas calorias, além de bastante nutritivos.O rabanete pode ser consumido cru em saladas, enquanto a beterraba apenas requer uma breve cozedura em água para se tornar um ingrediente ideal para saladas e acompanhamentos.
  • O cardo mariano é uma das plantas mais conhecidas e difundidas no tratamento do fígado gordo. As folhas secas servem para fazer uma infusão para ajudar a melhorar as funções hepáticas. Nas lojas de produtos naturais é vendido em cápsulas e gotas, que auxiliam a sua ingestão. Pode-se optar por cápsulas, mas é importante ler as instruções do produto para saber a quantidade exata de ingestão diária.
  • Dente-de-leão é outra planta que atua como remédio caseiro. É um dos depurativos naturais mais potentes, ajudando a limpar a glândula e a melhorar a saúde hepática. Recomenda-se consumir em infusão pelo menos três xícaras por dia.
  • O boldo é um dos remédios caseiros mais populares associados ao tratamento de problemas hepáticos. Indica-se consumir habitualmente em infusões seguindo as instruções anteriores.
  • O abacaxi contém uma potente enzima chamada bromelina que ajuda na digestão. Recomenda-se fazer combinações de suco de abacaxi com hortelã ou outras frutas para potencializar ainda mais o efeito sobre o fígado e todo o corpo.  
  • A maça, rica em fibras, possui uma substância chamada pectina que reduz a taxa de colesterol e facilita a digestão de gorduras pelo organismo. As fibras desse alimento “se agarram” às células de gordura e as levam embora do corpo, impossibilitando que fiquem acumuladas no órgão.
  • Escarola é fonte importante de nutrientes como ácido fólico, zinco e vitaminas que dão mais disposição e saúde para o corpo.  A substância amarga presente nessa verdura estimula a secreção da bile, facilitando a limpeza do fígado.
  • As frutas vermelhas como morango, amora, cereja e framboesa são poderosos antioxidantes. Essas frutas ajudam a combater as substâncias tóxicas acumuladas no fígado.
  • Salmão e azeite são excelentes combinações para uma dieta saudável. Rico em ômega 3, o salmão possui gordura considerada boa para o fígado. Por usa vez, o azeite de oliva, é rico em ômega 9, que também traz benefícios. Mas, por serem óleos, devem ser consumidos com moderação para não provocarem efeito contrário.
  • O gengibre é considerado um tônico para o fígado por ajudar na secreção da bile, que é feita pela vesícula biliar. O consumo dessa raiz facilita a digestão de gorduras de forma mais eficiente. Pode ser consumido cru, ralando um pouco em cima do prato no almoço ou no jantar, ou fazer um chá.

As dicas são essas, mas para garantir uma alimentação correta e saudavel, procure o acompanhamento de um bom nutricionista para orientar sua alimentação de acordo com a sua rotina.