Descubra as bibliotecas de São Paulo

Dizer que São Paulo é um imenso centro cultural e com opções para os mais variados gostos não é exagero. A cidade abriga também algumas das melhores e mais importantes bibliotecas para os sedentos por cultura, em espaços amplos e agradáveis, ideais para uma leitura tranquila.

Preparamos uma lista com algumas das bibliotecas mais conhecidas e descoladas da capital.  

  - Biblioteca Mário de Andrade - Uma das mais importantes bibliotecas de pesquisa do país, foi fundada em 1925. É considerada a maior biblioteca pública da cidade e a segunda maior do Brasil, superada apenas pela Biblioteca Nacional, l no Rio de Janeiro. Por conta do crescimento do acervo e dos serviços, em 1942 a BMA mudou para o atual edifício, na Rua da Consolação. O prédio, projetado pelo arquiteto francês Jacques Pilon, é um marco da arquitetura Art Déco em São Paulo.

Entre as peculiaridades, o leitor irá encontrar na Mário de Andrade um dos dois exemplares existentes da primeira obra sobre os jesuítas nas Américas, datado de 1551. Funciona de segunda a sábado e fecha aos domingos e feriados. Mais informações no site www.bma.sp.gov.br

- Biblioteca de São Paulo - Localizada no Parque da Juventude, na zona norte da capital, oferece aos visitantes cerca de 30 mil livros, além de CDs, DVDs, revistas e jornais. Há divisão por faixa etária, com espaços destinados a crianças, jovens e adultos. Os frequentadores têm à disposição terminais de autoatendimento de última geração e impressora em braile. Há 100 computadores para uso livre, mobília especial para deficientes físicos e audiovisuais, além de auditório para palestras. Para pegar livros emprestados e usar os computadores é necessário fazer carteira de usuário, apresentando o RG e um comprovante de residência. Com ar moderno, a BSP atrai jovens em busca de best-sellers e,  entre uma leitura e outra, é possível assistir a um show ou participar de oficinas culturais. O endereço reserva também uma programação intensa para crianças com shows, bate papos e oficinas. O razoável número de computadores conectados à internet, as revistas estrangeiras e o horário estendido de funcionamento estão entre os pontos positivos do local. A Biblioteca de São Paulo abre de terça a sexta, das 9h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h. Mais informações: bibliotecadesaopaulo.org.br.

  - Biblioteca Municipal Monteiro Lobato - É a biblioteca mais antiga da cidade. Foi inaugurada em 1936, sob direção de Lenyra Camargo Fraccaroli, grande amiga do escritor brasileiro que dá nome ao local. Juntos, idealizaram a primeira biblioteca infantil da cidade. Na vanguarda por seu trabalho e fomento à leitura para o público infantojuvenil, o estabelecimento possui acervo bibliográfico destinado a essa categoria e recebe visitas de escolas privadas e públicas ao longo do ano letivo.

No local, no Centro de São Paulo, os visitantes também encontram espaços para atrações culturais, como sala de artes, discoteca, seção de livros raros, teatro de bonecos, o acervo Monteiro Lobato - que inclui documentos, objetos pessoais, biografia e livros -, o Teatro Infantil Monteiro Lobato (TIMOL), a Academia Juvenil de Letras, sala de vídeo, banco de textos teatrais, entre outros.

A Monteiro Lobato funciona todos os dias. Mais informações: bijmlobato.blogspot.com.br

  - Centro Cultural São Paulo - Inaugurado em 1982 no bairro do Paraíso, o CCSP é um dos pontos culturais mais conhecidos da capital pelo apoio à arte experimental e multidisciplinar, promovendo mostras, espetáculos, oficinas e debates sobre cinema, dança, artes visuais e cênicas, música clássica e popular, além de programação infanto-juvenil. O CCSP possui três bibliotecas, uma gibiteca, salas de leitura e oferece serviços como bicicletário e restaurante.

O local reúne cerca de 120 mil livros e documentos para consulta e recebe aproximadamente mil visitantes por dia, que são acolhidos nos disputados espaços destinados ao convívio e leitura.  Horário de funcionamento e programação disponíveis no site www.centrocultural.sp.gov.br

  - Casa das Rosas - Situada no início da Avenida Paulista, a Casa das Rosas é o espaço ideal para quem é fã de poesia concreta. Projetado por Francisco de Paula Ramos de Azevedo, em 1927 - o mais importante arquiteto do período áureo da economia cafeeira de São Paulo -, o espaço preserva um dos últimos casarões em um dos endereços mais caros e emblemáticos da capital. Além do acervo de livros, a Casa das Rosas, também conhecida como Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, apresenta saraus, peças de teatro e diversas outras manifestações artísticas.

O centro cultural foi inaugurado em 1991 e recebeu tal nome porque abrigava um dos maiores e mais belos jardins de rosas da cidade. Há, aproximadamente, 35 mil volumes da coleção do poeta, tradutor e ensaísta Haroldo de Campos, falecido em 2003. Além dessas e outras obras, o centro oferece eventos culturais, diversos cursos e exposições periódicas relacionadas à literatura. Conta, ainda, com a primeira biblioteca do país especializada em poesia e uma livraria da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, que comercializa apenas livros de editoras universitárias.

A Casa das Rosas abre todos os dias. Mais informações: www.casadasrosas.org.br