Previna-se contra os raios do sol

Proteger a pele contra a incidência dos raios solares é vital em todas as idades. Em especial nos bebês e nas crianças, informa a médica dermatologista Daniela Schmidt Pimentel, do Hospital Sírio Libanês, de São Paulo. “A pele do bebê é fina e extremamente sensível à radiação solar. A exposição excessiva pode gerar queimaduras, sardas, manchas e aumentar o risco de desenvolvimento de câncer de pele na vida adulta”, adianta.

O alerta vai além. Os passeios com bebês devem ser curtos. “Somente pela manhã, até às 10h, ou no fim da tarde, após 16h. Sempre com chapéu ou boné, com roupas leves e frescas. Mesmo a pele da criança, apesar de ser mais resistente do que a do bebê, ainda é muito sensível ao sol”. O cuidado deve ser intenso nesta fase da vida, porque a maioria das brincadeiras acontece ao ar livre.

É preciso estar atento ao fator de proteção solar (FPS). Dependendo da cor da pele, precisa ser maior. Peles claras necessitam de FPS 30. Já em peles negras apenas o FPS 15 é eficaz. “Como o brasileiro tem uma mistura de raças, quanto maior o FPS mais seguro. Para nós que moramos num país tropical e estamos expostos ao sol praticamente todos os dias do ano, o ideal é no mínimo o FPS 30 diariamente”, avalia a médica.

Daniela Pimentel sugere o uso de um protetor solar especial para o rosto e outro para o resto do corpo. “Quando aplicar sobre o rosto assegure-se de fazê-lo de uma forma uniforme e, caso seja spray, tente não deixar nenhuma região descoberta”, avisa. É muito importante aplicar o creme nas áreas como orelhas e pálpebras, que normalmente ficam esquecidas e acabam lesionadas. O nariz requer habitualmente uma proteção extra, pois costuma queimar mais do que o resto da face.

Os filtros solares podem ser químicos (absorvem os raios ultravioletas) ou físicos (refletem os mesmos raios). Segundo a médica, é comum a associação de filtros químicos e físicos para obter um filtro solar de FPS mais alto. 

 A absorção dos raios solares é limitada. A partir do fator 30 já é bastante alta. “O que ocorre é que raramente passamos corretamente o protetor solar, tanto em quantidade quanto no número de reaplicações. Daí, um FPS maior ajuda a compensar essa displicência. Quanto mais elevado o FPS, maior a eficácia”, garante.