Como escolher um eletricista

Para saber como escolher um eletricista de qualidade, que seja dedicado ao trabalho, mas que também tenha conhecimento técnico suficiente para desempenhar suas funções, é importante adotar alguns procedimentos.

A parte elétrica de uma casa ou de um ponto comercial é muito séria e importante. Qualquer acidente ou inconsistência pode gerar prejuízos incalculáveis. Por isso, o consumidor deve verificar se o eletricista está qualificado para realizar reparos ou, até mesmo, o projeto completo de um local.

Como saber se o eletricista possui conhecimento técnico para o trabalho?

Para contratar um bom eletricista, é preciso saber se ele está qualificado para o serviço. Todos nós sabemos que a prática é muito importante para formar um profissional, mas apenas isso não é suficiente. Por isso, um bom eletricista precisa ter formação na área.

Uma ótima sugestão é pedir para ver os certificados de formação dos cursos feitos pelo profissional. O próprio SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, possui uma série de cursos de qualidade para formar eletricistas que se dedicam às atividades vinculadas à construção civil.

Os eletricistas de qualidade também devem estar de acordo com a Norma Regulamentadora 10. Este é um documento/averiguação emitido pelo Ministério do Trabalho, que chancela que o profissional atende os requisitos básicos e sabe os procedimentos padrão para trabalhar com eletricidade, sempre respeitando as práticas mais adequadas para preservar a segurança e a saúde de todos os envolvidos.

Como contratar um eletricista com segurança                  

Em toda relação de prestação de serviço, é muito importante que as partes envolvidas (contratante e eletricista) estabeleçam todos os serviços em um contrato descritivo, com tarefas, prazos, resultados e pagamento. O contrato também deve deixar claro os valores dos componentes elétricos (material de trabalho) e da mão de obra.

O contratante deve acompanhar o trabalho do eletricista para verificar se o contrato está sendo cumprido corretamente. Em caso de dúvidas, não hesite em perguntar.

Busque referências sempre

Tanto para empresas como para profissionais autônomos, é muito importante buscar referências. No caso das empresas, a internet é uma boa fonte de informação. Em várias páginas os clientes costumam avaliar o serviço dos profissionais e registrar suas opiniões.

No caso dos profissionais autônomos, procure conversar com pessoas que confiaram nestes eletricistas e saber qual foi a experiência. Tire todas as dúvidas e, assim, faça uma contratação consciente.

Muitas pessoas preferem contratar empresas ao invés dos profissionais autônomos. Mesmo que o custo do serviço seja mais caro, elas oferecem algumas garantias legais que os profissionais liberais não conseguem garantir. As empresas, no geral, oferecem mais segurança com relação à garantia do serviço, indenização em caso de problemas, entre outras questões.

Mas contratar uma empresa para serviços de eletricista nem sempre é sinônimo de um bom resultado. Enquanto os eletricistas autônomos definem os próprios preços e trabalham de acordo com o valor que é justo para desempenhar um bom trabalho, os eletricistas contratados por empresas podem estar desenvolvendo o serviço com o salário abaixo da média e insatisfeitos.

Por isso, antes de definir entre empresa e profissional autônomo, é preciso fazer uma boa pesquisa, que sempre envolve buscar referências, saber há quantos anos a empresa ou o eletricista autônomo trabalha no ramo, conversar com o máximo de consumidores que já contrataram o trabalho e perceber se eles possuem experiência suficiente para tirar dúvidas e apresentar soluções viáveis.

Procure uma segunda opinião

Se você vai contratar um eletricista para um simples reparo ou uma grande reforma, é importante contar com uma segunda opinião. Em geral, chamamos o eletricista para verificar o problema. Logo após uma inspeção, ele identifica o problema e nos apresenta um orçamento.

Procure sempre mais de um orçamento, se possível dois ou três, principalmente se houver divergência de informações. Quer um exemplo?

Um eletricista acredita que é preciso trocar os fios de uma tomada estragada, enquanto outros dois avaliam que o fio pode durar mais alguns anos sem apresentar problemas. É bom contar com mais de uma explicação para o problema, não somente para confrontar ideias e soluções, mas para entender o que realmente está se passando.

Neste caso, também vale prestar atenção em um cuidado: nem sempre vá pelo mais barato. Não é certo que o que cobra mais caro seja bom, a não ser que ele vá fazer a troca de componentes. Em geral, o reaproveitamento de material não é bem-vindo em serviços de eletricidade. Os profissionais que cobram mais em conta costumam reutilizar peças, componentes e outros itens. Mesmo que o orçamento seja muito convidativo, coloque na balança o preço do retrabalho ou, até mesmo, de um acidente.

Procure por um eletricista que seja profissional

Nem sempre é fácil separar um eletricista profissional de um amador, mas existem algumas dicas que podem ajudar a encontrar essa resposta.

Os eletricistas profissionais costumam se portar como uma pessoa preparada para resolver o problema. Logo em uma primeira visita, costumam levar uma mala de ferramentas, algumas peças básicas que podem ser trocadas, um bloco de anotações, um modelo de orçamento padronizado, um cartão de visitas, entre outros artigos típicos de quem realmente é profissional.

Na contramão deste comportamento, os amadores costumam estar despreparados logo na primeira visita, estão sem uniforme, não possuem cartão de visitas, não contam com orçamento padronizado e apresentam mais uma série de falhas. Estes são ótimos sinais para decidir qual tipo de eletricista você pretende contratar.

Faça alguns testes com o eletricista

Os serviços de eletricidade são muito sérios e importantes, precisam ser feitos com material adequado, que seguem normas padronizadas de segurança e que são conhecidos por todos os eletricistas regularizados.

Para saber se você está lidando com um eletricista que não é um verdadeiro profissional, pergunte para ele se você pode optar por peças mais baratas, mesmo que elas não sejam tecnicamente recomendadas para tal ocasião. Por exemplo, usar um fio mais barato em uma instalação que exige um fio de melhor qualidade. Se o eletricista achar que não tem problema, mesmo sabendo que você está fazendo uma proposta perigosa, trata-se de um mau profissional.

Um eletricista verdadeiramente sério vai recomendar o contrário, alertá-lo dos perigos e tentar removê-lo da ideia de fazer um serviço ruim, em busca de uma economia que pode lhe custar segurança, patrimônio e, até mesmo, vidas.

Só contrate serviço com garantia

Antes de fazer a contratação do serviço, esteja certo de que o eletricista oferece garantia. Como este tipo de trabalho é feito na base da confiança, é muito importante contar com suporte técnico do eletricista caso haja algum problema.